sábado, 31 de janeiro de 2015

Homens de Preto (MiB) teriam aparecido em aeroporto argentino: fato, farsa ou erro de identificação?!

O fato aconteceu em um ensolarado domingo de inverno, em 24 de junho de 2012, por volta das 10h da manhã, na cidade de San António de Padua de la Concordia, na província argentina de Entre Rios (mapa abaixo) , no Aeroporto Comodoro Pierrestegui. Várias pessoas que estavam no local testemunharam como positivos e verdadeiros os fatos descritos nesta postagem.


(Há algum tempo publicamos um artigo neste blog falando sobre a história dos “homens de preto”, conhecidos popularmente nos Estados Unidos como “men in black”, ou “MiB”)

Algumas testemunhas recearam acabar sendo ridicularizadas pela imprensa e pela população argentina, então contaram aos ufólogos e demais especialistas utilizando nomes fictícios, como é o caso de Claudia, que contou: “Eu e meu marido observamos um ‘homem de preto’ como os ‘MiB’ junto a um pequeno avião estacionado no pátio de embarque e desembarque deste pequeno aeroporto sem tanta importância para o fluxo de passageiros argentinos”.


De acordo com todas as dezessete testemunhas ouvidas, o homem chamou a atenção não apenas por suas vestes, mas porque era extremamente alto, medindo mais de dois metros de altura, rosto fino, pernas e braços igualmente longos, cabelos cortados e vermelhos, pele muito branca, usava óculos escuros com lentes redondas e seus movimentos pareciam mecanizados, caminhando em passos curtos e robotizados.

Nas palavras das testemunhas, não veio em nenhum automóvel: surgiu do nada, próximo a uma pista de aeronaves carregando duas maletas, uma em cada mão. Aproximando-se de um pequeno avião, colocou dentro dele as maletas e, então, toda a cena simplesmente desapareceu (o homem, o avião, o automóvel).

A ufóloga argentina Silvia Simondini ouviu todas as dezessete testemunhas, desde funcionários do aeroporto a funcionários das pequenas empresas aéreas e civis que estavam ali para transporte. Silvia Simondini passou a investigar o caso e descobriu que as pessoas, mesmo sem se conhecerem, contaram a mesma história com a mesma riqueza de detalhes. Segundo a ufóloga argentina, um detalhe chama atenção: “De acordo com o operador da torre de controle de voos, naquele dia o aeroporto registrou somente uma decolagem, de um avião que seguia para Córdoba, e não era um avião particular; e esse controlador de voo também viu esse pequeno avião ali, mas não há registros de pousos e decolagens dele”, aponta.


Com medo de ter havido alguma espécie de falha mecânica nos equipamentos antigos deste pequeno aeroporto, a investigadora foi até o centro de controle aéreo central, em Buenos Aires, e descobriu que realmente naquele aeroporto interiorano, naquele dia, só houve um voo às 13 horas para Córdoba. Horário diferente das 10 horas da manhã do que relatam as testemunhas do “homem de preto argentino”.

Após ter este panorama, Silvia deu entrevista a uma rádio local comentando o fato incidental. O radialista Matías Hojeman decidiu ir à polícia e fez um boletim de ocorrência sobre o fato, alegando que a população da pequena cidade poderia estar correndo um perigo desconhecido. Isso fez o caso tornar-se regionalmente um grande sensacionalismo jornalístico.

Em entrevista a um grande jornal da província de Entre Rios, a ufóloga comentou porque tentou investigar o caso com maior afinco: “Em 1998, tivemos um caso extremamente idêntico a este, com o mesmo personagem, mas na cidade de Victoria. Parece que está acontecendo no mundo inteiro porque este ‘homem’ é visto em pequenos aeroportos em várias partes do planeta São pessoas [os ‘homens de preto’] que não mantêm contato com os seres humanos e destacam-se pela aparência e modo de andar bem comuns e misteriosos. Não sabemos muito sobre eles mas estão relacionados com algo extraterrestre. Frequentemente estão associados às apariçãos de objetos voadores não identificados. Suspeitamos que se utilizam até de hologramas para criar a ilusão de uma realidade para esconder o que de fato está ocorrendo”.