quinta-feira, 15 de maio de 2014

Tesão de vaca: fato ou farsa?! Uma das mais famosas lendas urbanas da história...

Hoje nós vamos falar de uma lenda urbana extremamente popular nas últimas décadas, que não faz sucesso somente no Brasil, mas também em alguns países da América Latina – tais como: Argentina, Chile, Colômbia e México. Trata-se do chamado “tesão de vaca”. Será que isso realmente existe, tem algum fundo de verdade, ou simplesmente é uma farsa total? É o que vamos descobrir na postagem de hoje.


Tesão de vaca é uma lenda urbana surgida nos anos 80 na Argentina, referente a um suposto composto químico que, ao ser colocado na bebida das mulheres, geralmente em noitadas em boates, faria com que tivessem sua libido aumentada a níveis extremamente altos e acima do normal, passando a ter, momentaneamente, uma vontade obsessiva de praticar sexo com quem quer que fosse.

De acordo com a lenda urbana, o tesão de vaca seria um medicamento de uso veterinário, proibido para humanos, que faria com que vacas, ovelhas e éguas tivessem a ovulação exacerbada no cio e aumentasse a vontade de ter o coito com o macho, facilitando a gravidez destes animais.


Aproveitando-se desta lenda urbana disseminada na América Latina, e mais recentemente nos Estados Unidos, diversas empresas produtoras de itens para sex shops produzem supostos afrodisíacos com o nome “tesão de vaca” em seus produtos a fim de chamar comércio e publicidade boca a boca. Entretanto, há muitos esclarecimentos que devem ser pontuados em relação a isso.

1º esclarecimento – Em 2007, uma página mantida pelo Ministério da Saúde do Brasil traz o relato de uma menina que alegou ter tomado tesão de vaca antes de ter perdido a virgindade, sendo que este teria sido ministrado misturado a um refrigerante de guaraná;
2º esclarecimento – Em uma petição à Câmara Municipal de Unaí, Minas Gerais, um vereador apresentou uma denúncia contra a diretora de uma escola municipal, e dentre os supostos fatos citados estava a intenção da mesma em colocar o tesão de vaca na bebida de uma professora;
3º esclarecimento – Em setembro de 2011, um menor foi internado em Nova Friburgo, Rio de Janeiro, com a informação de que teria ingerido tal substância;
4º esclarecimento – Na Argentina há várias histórias envolvendo suposto uso de tesão de vaca contra jovens em boates, festas e escolas.


Mas há outro ponto que deve ser considerado. De acordo com zootécnicos de universidades federais em diversos sites e blogs esclarecedores, há medicamentos que fazem, sim, o serviço da ovulação da fêmea ser acelerado, mas isso é feito mediante aplicação – via injeção – de hormônios específicos e que demoram certo tempo para atuarem no sistema reprodutor. Entretanto, a história do tesão de vaca instantâneo através da ingestão de comprimidos não é válida, de acordo com os zootécnicos.

Portanto, o tesão de vaca pode até existir, mas não pode existir na forma como as lendas urbanas latinas o concebem: um comprimido “milagroso” colocado na bebida das mulheres em festas. Ele só faria efeito desejado após a aplicação coordenada dos hormônios. Entretanto, no Paraguai, a droga ecstasy é conhecido como tesão de vaca.


De um modo geral, podemos dizer que o tesão de vaca existe e não existe ao mesmo tempo. Existe porque há medicamentos específicos na forma de hormônios e injeções tratados durante um tempo; e não existe porque não há uma maneira de fazer a mulher ovular instantaneamente mediante o uso de comprimidos escondidos na bebida.