quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Mitos, curiosidades, fatos e farsas (31)

Ao longo da história as sociedades passaram inúmeros mitos e curiosidades que foram – e ainda são – encarados como fatos. No entanto, não passam de folclores que escondem farsas incríveis e bastante inventivas. Vamos, então, descobrir um pouco delas? Voilà!

Por que em algumas fotos as pessoas ficam com os olhos vermelhos?
Porque o olho humano é naturalmente como uma câmara escura com um orifício, a pupila. Normalmente a luminosidade é maior fora do que dentro do olho humano, por isso enxergamos a pupila preta. Quando a pupila é submetida a uma luz muito forte, como a do flash da máquina fotográfica, o vermelho que se vê é o resultado do reflexo dos vasos sanguíneos que irrigam a retina, situada no fundo dos olhos.


Qual a origem do curioso nome do lanche, “cachorro quente”?
O sanduíche foi inventado antes do nome. A ideia de servir pão com salsicha e molho veio do bar Polo Grounds, em Nova York, que era no início do século 20, o bar localizado perto do mais importante estádio de baseball. Um cartunista da época, T. A. Dorgan, aproveitou para fazer uma charge irônica: um cão bassê frequentando o Polo Grounds. Daí o nome “hot dog” pegou e o sanduíche universalizou-se com esse nome de batismo. Vale lembrar que na Alemanha o nome do sanduíche é diferente: “daschund”, que é o nome da raça bassê naquele país.


Como surgiu o nosso tradicional frevo?
O frevo é o resultado da fusão de vários ritmos que marcaram a nossa cultura musical: da marcha, do tango brasileiro, do maxixe, da quadrilha e da capoeira. Assim começaram os primeiros passos a ferver, originando o nome do frevo. Um dos fatores que ajudou o frevo a se firmar como ritmo característico de Olinda foram as bandas militares. Nos anos 30, o frevo, característico do carnaval do Recife, começou sendo executado a céu aberto, contagiando os foliões ao som de marchas; depois começou a ser cantado nos bailes, animando o carnaval nas ruas, nos salões e nos clubes.

Como surgiu a expressão “tênis” como sapato informal e mais confortável?
A palavra veio do inglês “tennis”, que por sua vez nasceu do francês, cuja palavra significava “efeito bumerangue”. A palavra virou uma espécie de gíria no início do século 20 entre os jogadores de tênis porque eles gritavam “Tennis!”, como se fosse “Pega essa agora!”. O calçado apropriado para este esporte passou a ser conhecido como “tennis shoes”, bem como o esporte: “tennis”.

Afinal, qual a diferença entre “história” e “estória”?
Não havia na língua portuguesa a palavra “estória”, portanto todas as histórias eram histórias de fato. A polêmica foi criada por Guimarães Rosa com o livro “Primeiras estórias”, que confundiu muitas pessoas. O termo “estória” foi designado para contos fictícios, anedotas, e “história” para fatos históricos propriamente. A palavra acabou entrando nos dicionários. Já no inglês existe esta diferença na gramática: “story” e “history”.

Por que os testículos ficam suspensos “fora” do corpo do homem?
A produção de espermatozoides é mais eficaz a uma temperatura de três a quatro graus centígrados abaixo da temperatura normal do corpo. É por isso que os testículos ficam suspensos fora do corpo. A alta temperatura impede que novos espermatozoides se formem e pode matar os já armazenados. O efeito disso é a infertilidade temporária. Temperaturas muito baixas também impedem a formação de espermatozoides, mas não afetam os que já estão armazenados. Normalmente, a produção é contínua, embora possa haver variações sazonais, de tempos em tempos, a concentração de espermatozoides parecer ser menor no verão.

Por que a música clássica é clássica?
Música clássica é aquela que se refere ao período clássico, que se popularizou por ter conceitos e regras mais formais e estruturadas. Destacou-se também por ter grandes compositores, como Mozart e Beethoven. Há, ainda, a afirmação de que a música clássica teria esse nome por ser das classes mais altas. O correto é se referir como sendo “música erudita”, pois inclui outros períodos da história da arte, tais como: renascentista, barroca, rococó, romântica etc.

Como nasceu o pronome “você”?
Antigamente, as pessoas se referiam às outras como “vossa mercê”, significando “vossa vontade”, “vossa importância”. Assim, seria: “Vossa mercê gostaria de um café?”. Com o tempo, acabou sendo uma palavra aglutinada: “vosmecê”, até chegar à atual forma mais abreviada ainda: “você”. Dizem que, com o tempo, vão diminuir tanto que oficializarão o “”. “Cê gostaria de um café?”.