terça-feira, 19 de novembro de 2013

Supostos fenômenos supernaturais expulsam família de sua casa na Argentina...

Na cidade de La Mercedes, na província de Salta (mapa abaixo), na Argentina, uma família extremamente pobre afirma ter sido vítima de ataques frequentes de supostos espíritos malignos, cujos espectros se manifestam como sombras visíveis. A família acredita que o objetivo de tais ataques é que a família abandone a casa, localizada em um bairro pobre do município.


Santos Sánchez, o pai da família, diz que todo pesadelo teve início quando seus filhos, dois adolescentes de 12 e 16 anos, começaram a comentar sobre estranhos acontecimentos que ocorriam na casa: sombras que passavam pelas janelas, no quintal, sombras passando pelos cômodos, puxões nas roupas, ventos gelados que vinham no nada, mesmo com a casa totalmente fechada, entre outros. De acordo com os parapsicólogos, estas são características clássicas da presença de espíritos em um ambiente, principalmente a queda de temperatura e sombras.

Entre os dias 14 e 20 de outubro de 2012 a polícia, por fim, foi chamada. Em sua denúncia, Sánchez disse que “nós temos que sair logo da casa porque está impossível ficar aqui com estes espíritos atormentando todos nós a todo o momento”. O que mais impressionou a polícia foi o incidente com a filha de Santos Sánches, que levitou do chão a uns 50 centímetros por diversos segundos uma vez que os agentes duvidaram do relato; para os oficiais, isso foi feito para que acreditassem nas entidades que lá estavam.

A polícia, extremamente confusa, decidiu não fazer a ocorrência, por não se tratar de uma “entidade física” perturbando o sossego da família, e recomendou a intervenção espiritual de um padre católico da confiança da família Sánchez.


O padre católico Pablo Castro foi “convocado” para exterminar este inimigo desconhecido das pessoas, que chegaram a evitar a família Sánchez. Investigando o ambiente e sentindo a estranha presença no local, o padre descobriu o possível culpado pelos ocorridos: um tabuleiro ouija (foto abaixo), usado para fazer comunicação com espíritos, geralmente objeto de brincadeira de crianças e jovens.

Durante as visitas à residência, para segurança do padre, a polícia esteve em sua companhia durante todo o procedimento. Padre Pablo passou pela casa abençoando os cômodos e fazendo uma espécie de exorcismo, ordenando aos demônios que saíssem daquele lar, pois ele estava habitado por pessoas que creem em Jesus Cristo e na sua ressurreição, que os deixassem em paz.

Ao longo do procedimento de exorcismo da casa e expulsão dos espíritos, um dos policiais foi ferido no rosto por algo que não foi possível identificar, enquanto outro foi socado no peito por o que ele chamou de “força poderosa e invisível”. Outro policial afirmou que durante todo o tempo ouvia uma voz que ordenava que todos saíssem da casa. Perplexos e amedrontados, muitos policiais abandonaram a missão e foram para casa, enquanto o padre se manteve firme diante do que ocorria.



Enquanto isso, o Padre Pablo Castro passava pela casa dizendo: “Que Deus abençoe esta casa e o sangue puro de Jesus limpe este lugar, que estes espíritos libertem esta família e vão embora daqui, em ordem ao poderoso nome do Espírito Santo, pois temos o controle de tudo”. Durante duas horas o padre esteve passando por toda casa entoando orações, jogando água benta e ordenando aos espíritos que deixassem o local.

Depois de algumas horas, as testemunhas disseram que não sentiam mais o ar pesado, nem tais vozes estranhas, muito menos puxões. A família Sánchez entrou na casa e disse que sentia paz e o ar mais leve. Conversando com os familiares, o padre descobriu que os adolescentes haviam brincado com um tabuleiro ouija alguns meses antes, depois de descobrirem que nos anos 70 o antigo proprietário da casa havia assassinado a esposa e depois se suicidado por conta de uma traição.


O padre explicou que esse tipo de brincadeira não tem a menor graça, pois, de acordo com a parapsicologia, poderia atrair inúmeras entidades negativas com consequências extremamente pesadas. De acordo com o sacerdote, a casa ainda precisa de um trabalho de limpeza espiritual mais forte para remover todos os espíritos que ali se instalaram com a prática dos jovens em brincarem com o ouija.

A família Sánchez disse que nunca mais foi perturbada por possíveis espíritos e o tabuleiro oija dos jovens foi queimado. Agora, todas as semanas, são realizadas cerimônias religiosas na casa e os vizinhos voltaram a conviver com os moradores da residência mais famosa de La Mercedes.