sábado, 17 de agosto de 2013

Você conhece a teoria da existência real dos “homens de preto”?

Quase todos nós assistimos à trilogia de sucesso do cinema “MiB: Homens de Preto”, que falava sobre uma partição do serviço secreto norte-americano para tratar de identificar supostos aliens “passeando” pelo nosso planeta. Poucas pessoas fora dos Estados Unidos conhecem essa história, mas o filme é uma sátira a uma lenda urbana muito comum naquele país, a lenda dos “homens de preto”, como temos aqui a historinha do “velho do saco que carrega crianças”, por exemplo. Mas há quem acredite na existência desta repartição secreta da CIA, e hoje vamos falar sobre esta história folclórica da história contemporânea dos Estados Unidos.



Homens de preto, do inglês “Men in black”, ou simplesmente “MiB”, fazem parte de uma lenda urbana norte-americana ligada à ufologia e à teoria da conspiração, que na cultura popular e nas teorias conspiratórias ufológicas trata-se de homens trajando ternos pretos e alegando serem agentes governamentais, que tentam assediar ou intimidar testemunhas de Ovni’s para fazê-las manterem total silêncio a respeito de informações sobre um fato ufológico presenciado por tais testemunhas.

De acordo com o folclore, estes homens entram repentinamente em suas casas fazendo-lhes ameaças. Por vezes, sugere-se que eles mesmos sejam extraterrestres disfarçados de seres humanos. Para outros, seriam alienígenas a serviço de algum governo ou organização de outro planeta.

Quando questionados sobre a existência de uma divisão chamada “MiB”, tanto o governo dos Estados Unidos quanto a CIA e o FBI afirmam que não comentam o assunto, que não tem a menor relevância e que não fala sobre especulações de lendas urbanas e “teorias infantis”. No entanto, algumas pessoas que testemunharam publicamente sobre visão de discos voadores e contatos imediatos afirmam categoricamente terem sido perseguidas por estes homens, que afirmam trabalhar para o governo, apelando para a ameaça e a violência.

Nas fotos abaixo temos duas imagens tiradas por pessoas que disseram publicamente terem sido contactadas por alienígenas. Uma imagem é do início da década de 1960, e a outra é de 2005, de uma câmera de vigilância de um prédio de escritórios em Houston.



O termo também é frequentemente usado para descrever homens misteriosos que trabalham para organizações anônimas, bem como para vários setores do governo, supostamente para proteger segredos, ou desempenhar outras atividades “estranhas”. O termo é genérico, usado para referir-se a qualquer indivíduo incomum, ameaçador ou de comportamento estranho, cuja aparição em cena pode estar relacionada de alguma forma a um avistamento de discos voadores ou objetos voadores não identificados.

Origem da “lenda”...
O fenômeno começou a ser divulgado inicialmente, e com mais frequência, nos anos 50 e 60, a princípio em um livro de 1956, de Gray Barker, contemporâneo a muitas outras teorias da conspiração – uma vez que vivíamos um período de auge entre o acirramento dos Estados Unidos com a União Soviética, chamado de “Guerra Fria” (1945-1989). Neste período havia uma atividade de espionagem intensa entre ambos os países, e qualquer pessoa poderia ser considerada “uma terrível ameaça aos segredos e à segurança do país”.

Segundo Jerome Clark, em “The UFO encyclopedia”, o primeiro encontro com os chamados “homens de preto” teria ocorrido em 1953, quando o editor Albert Bender afirmou ter descoberto o segredo dos discos voadores, e, com isso, teria sido ameaçado por três homens trajando ternos e chapéus pretos. De início, Bender acusou abertamente serem eles agentes do governo dos Estados Unidos, mas suas descrições posteriores mesclaram características sobrenaturais com o folclore envolvendo a ufologia e possíveis seres de outros planetas.

Na verdade, Bender inicialmente mostrava-se cético quanto ao fenômeno dos homens de preto e os encontrou pela primeira vez “em carne e osso” após publicar um relato do incidente da Ilha Maury, ocorrido em 1947, quando Harold Dahl relatou a queda de fragmentos de um Ovni sobre o barco em que se encontrava em Puget Sound, matando seu cão. No dia seguinte, Dahl teria sido advertido por um homem de terno preto, dirigindo um Buick 1947, que seria melhor permanecer em silêncio a respeito do incidente.


De acordo com alguns folcloristas norte-americanos que estudaram os relatos de possíveis testemunhas de encontros com homens de preto, há uma série de combinações comuns envolvendo os relatos destas testemunhas: (1) tais homens atuam sempre em trio; (2) aparência “estrangeira”; (3) falam pouco, o essencial, sempre em tom afirmativo e ameaçador; (4) andam em carros pretos sem emplacamento; (5) tais carros são vistos circulando a casa da testemunha dias antes da interceptação; (6) caso a testemunha continue afirmando publicamente o que conheceria, há ameaças através de telefonemas.

Não há a menor comprovação da existência dos homens de preto, como vídeos, fotos etc. Mesmo assim algumas pessoas insistem que foram ameaçadas por esta organização que seria secreta dentro do próprio governo dos Estados Unidos. A corrente ufológica diverge sobre o assunto, afirmando que podem haver erros nos relatos das pessoas, fantasiando o que não existe, e outros afirmando que sim, há um serviço secreto especializado na temática e represália contra testemunhas de casos ufológicos.

De real mesmo, temos somente a trigolia do cinema “MiB: Men in black”, que trabalha com tonalidade de humor e sátira a essa lenda urbana norte-americana desde os anos 50, valendo a pena lembrar do contexto em que ela surge, o auge da Guerra Fria e as ameaças de duas superpotências da época.