quinta-feira, 30 de maio de 2013

Como surgiram a semana de sete dias e os nomes dos dias da semana?

A noção de semana surgiu da observação das fases lunares. Do ponto de vista astronômico, além de estar associada à sucessão das fases da Lua, a semana é uma reminiscência das superstições astrológicas dos antigos caldeus. Aliás, a atual divisão da semana em sete dias com os nomes dos planetas aplicados aos dias, como foi adotado pelos romanos, é de origem babilônia, como se encontra nas tábuas cuneiformes do reinado de Shamshi Adad I, por volta de 1808 a.C., onde os principais deuses babilônicos são identificados como os sete planetas aplicados aos dias da semana.

Os nomes Samas (Sol), Sin (Lua), Nirgel (Marte), Nabu (Mercúrio), Marduk (Júpiter), Ishtar (Vênus) e Nindar (Saturno) designam, respectivamente, domingo, segunda-feira, terça-feira, quarta-feira, quinta-feira, sexta-feira e sábado no nosso calendário.


Um vez determinados os meses associados à lunação, os hebreus se inspiraram nos babilônios para estabelecer os novos ciclos de acordo com os quartos da Lua, o que deu origem à semana puramente convencional e rigorosamente periódica, como as fases da Lua, compostas de sete dias. Tal instituição estava ligada às mais antigas recordações dos povos hebraicos, anteriores a Moisés, sendo o último dia – sábado – considerado o derradeiro dia do período, dedicado ao descanso, que devia suceder aos outros seis dias de trabalho. Foram os hebreus que a difundiram por todo o mundo, levando os outros povos a adotarem a semana, dentre eles os romanos, que já a conheciam muito antes da conquista da Síria e da constituição do seu Império.


A semana é hoje de uso universal em quase todas as nações civilizadas. É interessante notar que os povos da Antiguidade – egípcios, gregos, chineses, japoneses – adotavam a semana de dez dias, e não de sete. Muitos estudiosos dizem que a semana de sete dias nada tem a ver com a Lua, mas sim com a superstição envolvendo o número sete, o que não é verdade, uma vez que entre os babilônios, os dias 7, 14, 21 e 28 eram considerados aziagos e, portanto, vários atos públicos não poderiam ser feitos nestes dias.

O surgimento dos nomes dos dias da semana...
O vocábulo “semana” vem do latim “septem mane”, isto é, sete manhãs, período de sete dias que indica a sucessão regular dos dias de trabalho e de repouso entre os romanos. Em resumo, as alternâncias dos dias e das noites, as sucessões das fases da Lua, os retornos das estações assim como dos anos devem ter sido objeto de atenção e de reflexão dos caçadores, dos pastores, dos lavradores, que muito cedo viram nesses fenômenos um meio capaz de favorecer os seus trabalhos. Foi dessa maneira que a astronomia surgiu.

Conforme vimos, os nomes dos dias da semana tiveram origem na Babilônia antiga. Dava-se ao dia o nome do astro celeste que os astrólogos (astrônomos na época) acreditavam reger aquele dia na sua primeira hora. É o que ainda ocorre nos idiomas de língua latina, conforme tabela abaixo:


Já os idiomas de origem germânica têm história diferente. Os dias da semana fazem menção também aos astros, mas também aos deuses mitológicos vikings e germânicos.


A língua portuguesa é a única língua latina que não segue a tradição de dar aos dias da semana os nomes dos astros celestes. Os nomes da nossa semana vêm do latim litúrgico, quando no tempo do Imperador Constantino I, os nomes pagãos dos dias da semana foram substituídos gradualmente. Tal designação teve pouco sucesso, como vimos anteriormente, sendo usada somente no português, que também conservou o “sabbatum” (sábado), que, apesar de todas as reformas, permaneceu aceito pelos judeus, cristãos e muçulmanos, embora a festa semanal desses povos seja celebrada em dias diferentes (cristãos aos domingos, judeus aos sábados e muçulmanos às sextas-feiras). Realmente os católicos, para testemunharem a alegria que sentiam ao celebrar as festas da Semana da Páscoa, denominavam o dia do Sol, domingo, de “Dies Dominica”, “Dia do Senhor”) e, ao santificarem toda semana, abstinham-se de todo trabalho servil, chamando-os de “féria”.

Abaixo, tabela com os dias da semana em latim litúrgico, russo e hindu:


Mais um pouco de curiosidades, os dias da semana em grego, hebraico e árabe:


Para medir o tempo, o dia e o ano foram usadas unidades de tempo impostas pela natureza, e assim formaram os vários calendários que temos atualmente, dependendo de cada cultura. Na realidade, o assunto sobre a formação dos calendários é bem complexa e abrange muito mais fatos, regras, imposições etc.