quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Você conhece a história dos supostos discos voadores nazistas?

Nos últimos anos um extenso debate tem surgido em torno de histórias envolvendo um lado do nazismo pouco falado: o misticismo exacerbado em torno do regime. Junto a isso, pesquisadores divulgam pautas de assuntos que estavam obsoletas e quase totalmente esquecidas pelo tempo; e um destes assuntos refere-se ao disco voador nazi, ou como são conhecidos na Alemanha, “Haunebu”, “Hauneburg-Geräte” e “Reichsflugscheibein”. Estes seriam aeronaves extremamente avançadas – ou até naves espaciais – que supostamente foram desenvolvidas durante a governança de Adolf Hitler. Essas tecnologias não aparecem apenas na ficção, mas também em vários textos históricos revisionistas.



Os supostos Ovnis alemães costumam aparecer numa complexa conexão do misticismo de Hitler, uma ideologia que supõe a possibilidade de o regime nazista ter sido praticamente uma nova religião cujo messias seria o III Reich, além de supostas ligações sobrenaturais, paranormais e até mesmo ufológicas. Estas pesquisas ganharam força no final da década de 1970 e encontraram terreno fértil após os anos 1990, com a abertura dos arquivos das antigas União Soviética e Alemanha Oriental.

A tecnologia ufológica do nazismo ganha força a partir dos arquivos dos Aliados da Segunda Guerra referentes ao fenômeno conhecido como “foo fighter”. Isso serviu para alimentar a cabeça de alguns pesquisadores.

Modelos dos Ovnis de Hitler...
O Haunebu apresenta diferentes modelos: a Haunebu, uma outra série mais aperfeiçoada chamada Vril, uma outra série chamada Rundflugzeug, “avião redondo”, cuja sigla é RFZ, e por último uma versão muito curiosa chamada de “Sino nazista”, conhecida na Alemanha como “Glöcke”.

O Haunebu (foto abaixo) tem o formato de um chapéu. De acordo com historiadores da área militar, pelo menos oito teriam sido produzidos. Foi a partir destas estranhas aeronaves que surgiu o mito da ligação ufológica dos nazistas. Há poucas imagens verídicas e muitas fotomontagens atualmente.


Já o Glöcke (foto abaixo) é considerado um mito, uma vez que, supostamente, nunca teria sido produzido. O Ministério da Propaganda da Alemanha Nazista o considerava uma super arma de destruição. Como o nome já induz, tinha formato semelhante ao de um sino, e foi associado a diversas coisas como energia do ponto-zero, antigravidade, máquinas de locomoção perpetual, viagens no tempo, manipulação do tempo-espaço e dimensões múltiplas. A história fala de uma experiência na mina de Wenceslau, na fronteira com a antiga Tchecoslováquia, que resultou na morte de vários cientistas pela radiação extrema. Há boatos fortes de que ele foi um projeto cancelado pelos nazistas às vésperas do fim da guerra, em 1945.


Já a série de aeronaves Vril (foto abaixo) acabou conhecida como “caçadores”, e teriam sido produzidos a partir de 1941. De acordo com historiadores militares, pelo menos 27 chegaram a ser construídos, o que teria popularizado o nome “disco voador”, o que não é verdade.


Por fim, a série RFZ (foto abaixo), que começou a ser projetada em 1937 e teve a produção iniciada em 1940. Da série de sete RFZ’s projetados, somente 17 teriam sido produzidos pelos nazistas. Eram armados de canhão, mas dizem que tinham pouca habilidade no ar.


A tecnologia dos discos voadores de Hitler...
A tecnologia do Haunebu é muitas vezes identificada como Tesla, fazendo uso de um eletromagnetismo gerado pelo motor – localizado abaixo dele –, tornando-o capaz de voar à velocidade da luz (de acordo com a teoria das linhas de força do campo elétrico e linhas de força do campo magnético) e impossibilitando qualquer contra-ataque inimigo. Entretanto, sabemos que fisicamente ainda é impossível qualquer material forjado pelo homem assumir tal velocidade, o que acaba deixando tais histórias no parâmetro da especulação. Outra coisa mais específica e mais prática, apesar de ainda ser bastante difícil, é anular os efeitos gravitacionais fazendo com que se viaje a uma velocidade muito inferior à luz: 15 mil quilômetros por hora.

Alguns ufólogos apontam que a tecnologia de tais aeronaves nazistas foram conhecidas a partir da ligação mística entre cientistas do Reich e aliens que teriam sido capturados e que, atualmente, outros países detêm tais conhecimentos a partir da apreensão de seres de outros planetas em bases aéreas e com a prática de engenharia reversa em naves supostamente capturadas.

A questão do Ovni nazista é bem controversa. A maior parte dos historiadores e engenheiros acredita que seja um projeto nascido do projeto megalomaníaco de Adolf Hitler. Um projeto tão furado que, atualmente, não vemos aeronaves parecidas por aí diariamente.