sábado, 23 de fevereiro de 2013

O “misterioso” caso de Dolores Barrios. Fato ou farsa?

Alguns casos ditos ufológicos ficam bem mais misteriosos pela estranheza da história como acontecem do que o assunto que relatam. Este é o caso que vamos narrar hoje, o de uma insuspeita mulher que suscitou pesquisas enormes em todo planeta. No entanto, Dolores Barrios (foto abaixo) gerou muito sensacionalismo, muita boataria e pouca pesquisa científica ou policial. O caso foi narrado em outubro de 1954 pela revista “O cruzeiro”, na época a de maior circulação no Brasil.


Tudo ocorreu entre 07 e 08 de agosto de 1954, na cidade de Monte Palomar, nos Estados Unidos, local onde se realizava um dos primeiros congressos de ufologia. No evento encontravam-se importantes físicos, astrônomos e, também, homens que haviam afirmado terem sido contatados por aliens, como George Adamski e Truman Bethurm. Havia pouco tempo do incidente de Roswell e a ufologia começava, aos poucos, a ter adeptos, estudiosos e escritores.

De acordo com o que chegou até nós, algumas pessoas notaram uma mulher com aspecto “estranho” e pediram ao jornalista João Martins, que estava a trabalho para a revista brasileira, para tirar algumas fotos dela. Olhos muito profundos, formação craniana exagerada, uma estranha marca óssea na testa: isso que chamou atenção daquelas pessoas em 1954.



João Martins tirou as fotos, mas com a luz do flash ela se assustou e saiu rapidamente do local, entrando em um bosque ao lado do local do evento. Muitos a consideraram como sendo uma “extraterrestre” graças ao seu estranho comportamento e até por algumas características físicas peculiares, mesmo curiosas.

Porém, o mais estranho foi que algumas pessoas afirmam terem visto uma nave sair deste bosque, deixando-os impressionados. Mais tarde descobriram que a referida mulher havia assinado o livro de visitas com o nome Dolores Barrios, declarando-se estilista de moda em Nova York. No entanto, mais tarde, ninguém ouviu falar em estilista de moda com este nome na cidade, e com a divulgação da foto dela, tirada pelo brasileiro, ninguém a reconheceu como uma parente ou vizinha.


Uma possível explicação para o caso Dolores...
1) Estávamos no meio do grande embate ideológico do século 20, a Guerra Fria. Muitos dos projetos secretos creditados a aliens eram projetos militares norte-americanos e soviéticos testados secretamente, o que confundia a população em geral;

2) A ufologia começava a ganhar espaço após o caso Roswell, o que era um problema para o governo norte-americano. Não era bom abrir os olhos da população – não por serem ET’s, mas por conta de seus projetos secretos e de espionagem mútua entre as duas potências;

3) As pessoas que afirmaram terem visto o disco voador sair do bosque no meio do evento ufológico só “divulgaram” tal informação depois que as fotos da estranha mulher ganharam a mídia em todo o planeta, e não o fizeram no momento do ocorrido;

4) Dolores teria conversado rapidamente com um dos participantes do evento ufológico, dizendo que era uma alien interessada no assunto de como os terráqueos tratavam “sua população” e teria afirmado que há seres inteligente em Vênus, em seguida teria sumido na multidão.

Cientistas céticos acreditam na possibilidade de Dolores Barrios ter sido uma personagem criada pelo governo norte-americano para fazer com que os ufólogos caíssem no ridículo diante da opinião pública, sendo infiltrada dentro deste congresso. Mas, pelo contrário, tornou-se um dos “casos inexplicáveis” desta pseudociência e até hoje permanece envolto neste debate entre crédulos e céticos. Acabou sendo uma figura eternizada.