quinta-feira, 26 de julho de 2012

Skull & Bones: a sociedade secreta contemporânea...

Ultimamente tem ganhado o gosto popular um tipo de literatura sobre sociedades secretas que foram formadas ao longo da história. O problema é que nem sempre esses textos são confiáveis, misturando romances e ecletismo teórico, fazendo uma verdadeira salada. Hoje vou abordar a Skull & Bones.

Recentemente, publiquei alguns posts sobre outras sociedades secretas e suas considerações. Maçonaria (clique aqui e leia); Ordem Rosa-Cruz (clique aqui e leia); Illuminati (clique aqui e leia); Cavaleiros templários (clique aqui e leia).

A sociedade Skull & Bones é do tipo estudantil e foi fundada nos Estados Unidos em 1832, introduzida na Universidade de Yale por William Hungtington Russell e Alphonso Taft. Segundo alguns historiadores, Russell estudou na Alemanha, onde teria conhecido pessoas que se interessavam pela sociedade dos Illuminati. Mesmo sendo considerada extinta, ainda tinha adeptos ufanistas.


Tanto Russell quanto Taft se graduaram em Yale e venceram na vida. O primeiro virou deputado estadual por Connecticut e depois acabou nomeado general da Guarda Nacional Norte-Americana. Já o segundo foi ministro da Guerra e embaixador na Rússia. A partir daí que começam a surgir as teorias conspiratórias dos Skull & Bones.

Vale fazer um parágrafo para dizer que Yale é uma universidade particularmente interessante. Além da Skull & Bones, há outras duas sociedades secretas, mas com importância menor: a Scroll & Key e a Wolf’s Head.



Os candidatos a Skull & Bones são sempre homens brancos, de heranças protestantes e originários de famílias muito ricas, ou de importância na história dos Estados Unidos. Geralmente há uma linhagem: seus pais, ou avós, ou tios já foram membros da Skull & Bones. Trata-se de uma forte herança da colonização britânica e protestante do território americano.

Fora do ambiente de teoria da conspiração, a Skull & Bones tem uma ligação muito forte com a maçonaria. Quase todos os seus membros são, também, adeptos da maçonaria. Graças a isso, a sociedade secreta entrou para o patamar das lendas urbanas americanas e, vez ou outra, aparece em filmes.

Outro fato curioso é que durante as eleições presidenciais de 2004, nos Estados Unidos, todos os candidatos democratas e republicanos eram membros da Skull & Bones, portanto já se conheciam desde os tempos de faculdade. O vencedor, George W. Bush, é um dos membros mais proeminentes, integrado lá graças ao seu pai e também ex-presidente, George Bush.

Desde 1840 a política norte-americana tem sido pautada entre os membros da Skull & Bones. Vários governadores, senadores e ex-presidentes fazem parte dessa sociedade secreta, o que aumenta ainda mais as conspirações sobre certas atitudes em relação à política mundial.