quinta-feira, 12 de julho de 2012

Mitos, curiosidades, fatos e farsas (8)

Ao longo da história as sociedades passaram inúmeros mitos e curiosidades que foram – e ainda são – encarados como fatos. No entanto, não passam de folclores que escondem farsas incríveis e bastante inventivas. Vamos, então, descobrir um pouco delas? Voilà!

O biquíni das moças tem a ver com testes nucleares...
Em 1946, os Estados Unidos escolheram o atol de Bikini, na Oceania, para testes atômicos. Naquele verão, o francês Louis Réard lançou o maiô de duas peças chamado “minimum”, depois chamado de “bikini”, por causa da pequena dimensão da ilha. Algumas pessoas dizem que o nome tem a ver com o efeito explosivo da nova moda, ou que a explosão atômica partiu o atol em duas partes.



A palavra “fuck” é mesmo uma sigla real?
Não! Recentemente na internet veio um email engraçadinho com a possível origem da palavra inglesa “fuck” – que todos nós já sabemos o que significa. Na realidade, a origem vem do alemão medieval “fökken”, que significa “empurrar” e por extensão “copular”. A mentirinha do email diz que antigamente os casais só poderiam fazer sexo para procriação, caso o rei permitisse o sexo por prazer. Assim, o casal seria obrigado a pendurar uma placa com os dizeres “Fornication under consent of the king”, que depois passou a uma sigla: “F.U.C.K.”.

O que um sujeito boêmio, de noitadas, tem a ver com os tchecos?
A região da Boêmia, onde hoje está a República Tcheca, sempre foi repleta de ciganos que viviam a cantar, festejar e beber muito; este hábito passou para a juventude universitária de Praga ainda nos tempos medievais. Como eles iam estudar em Paris e levavam tais hábitos, os franceses passaram a chamar jovens arruaceiros dados às noitadas de “bohèmes”. Assim, o sentido da palavra ganhou toda a Europa medieval e chegou até o Brasil.

O ato de boicotar algo (ou alguém) teve origem no nome de um homem?
Sim! O capitão Charles Cunningham Boycott (foto abaixo), após dar baixa no exército britânico, foi contratado para administrar algumas fazendas na Irlanda a pedido do Conde Erne, que não morava nestas terras. Boycott era simplesmente odiado pelos colonos por despejar quem atrasasse com os pagamentos. Em 1880, a Liga Rural Irlandesa, para tentar motivar a reforma agrária, propôs a redução dos arrendamentos e estabeleceu que todo proprietário que não aceitasse tais termos deveria ser abandonado à própria sorte com sua imensidão de terras. Boycott, claro, rejeitou o termo e seus empregados foram forçados a abandoná-lo e nenhum comerciante poderia lhe vender nada. A represália foi tão dura que a família Boycott teve que voltar à Inglaterra.


“Cheio de nove horas”, uma expressão com história...
No Brasil colonial, as nove horas da noite marcava a hora de recolhimento. As visitas deveriam ir embora, os bares deveriam ser fechados, as festas deveriam parar – tudo para o bem da ordem e da moral. Com isso, no século 19, no Rio de Janeiro, havia uma portaria policial dizendo que depois das nove da noite, ninguém estaria isento de ser revistado pelas ruas. Foi assim que surgiu a expressão “cheio de nove horas” para aquela pessoa cheia de regras e de limites.

Por que o cinema é a sétima arte?
Cada uma das seis artes tem como característica um tipo de signo: música (som), pintura (cor), escultura (volume), arquitetura (espaço), literatura (palavra) e dança (movimento). Quando o cinema surgiu, em 1895, surpreendeu a todos como uma novidade tecnológica. Desta forma, o escritor italiano de cultura francesa, Ricciotto Canudo, foi quem primeiro compreendeu, por volta de 1911, o enorme potencial do cinema. Foi ele quem usou pela primeira vez a expressão “sétima arte”. Abaixo um dos primeiros filmes gravados; de 1895, o simples enredo de “O regador regado”...



O iogurte Danone tem a ver com uma criança em especial?
Em 1919, o espanhol Isaac Carasso começou a fabricar iogurtes de sabor inigualável. No início, as pessoas chamavam de Iogurte Carasso; entretanto, ele decidiu criar um nome para a sua marca: as primeiras letras do nome de seu filho Daniel, e “one”, “um” em inglês, por ele ser filho único. Daí nasceu a famosa Danone.