terça-feira, 24 de julho de 2012

As misteriosas linhas de Nazca: desenhos feitos para serem vistos do céu!

Quem é adepto da teoria dos deuses astronautas do passado já leu muito sobre esses misteriosos desenhos enormes criados pelo ser humano. As linhas de Nazca são um conjunto de geoglifos muito antigos localizados no deserto de Nazca, ao sul do Peru. São tão exóticos que em 1994 foram designados como Patrimônio Mundial pela Unesco.


Num espaço de 80 quilômetros de extensão estão as dezenas de desenhos, que embora lembrem a cultura paraca, arqueólogos dizem que foram feitos pela etnia nazca, entre os anos 400 e 650 d.C. A partir de simples linhas há formas de beija-flor, aranha, macaco, peixe, lhamas, lagartos etc. No Google Maps você pode ver por satélite essas linhas colocando na barra de procura essas coordenadas: -14.725833, -75.148611.

As linhas são desenhos rasos feitos no chão, removendo as pedras avermelhadas onipresentes na região e descobrindo o chão esbranquiçadas por baixo. Centenas são simples linhas ou formas geométricas, com mais de setenta desenhos de animais, aves, peixes ou figuras humanas. Os maiores têm mais de 200 metros de diâmetro. Os estudiosos divergem na interpretação dos efeitos dos projetos, mas eles geralmente atribuem um significado religioso. Devido ao clima seco, sem vento e estável do planalto e ao seu isolamento, a maior parte das linhas foram preservadas.



Os desenhos foram descobertos há pouco tempo, quando as pessoas começaram a viajar de avião a partir da década de 1930, quando os antropólogos se surpreenderam e começaram a estudá-las com auxílio dos arqueólogos. Uma das principais questões que deixaram os estudiosos mais intrigados foi a maneira como essas linhas foram construídas, algumas com precisão como se tivessem sido feitas com régua, papel e caneta, mas com dimensões gigantescas.

A maioria das linhas formam uma trincheira de aproximadamente seis centímetros de profundidade. Os estudiosos teorizam que o povo de Nazca poderia ter usado ferramentas simples e equipamento de levantamento para a construção das linhas. Estudos descobriram estacas de madeira no chão no final de algumas linhas, que apoiavam esta teoria.

O povo de nazca desenhou várias centenas de animais simples, mas enormes, e figuras humanas com esta técnica. No total, o projeto de terraplenagem é enorme e complexo: a área que abrange as linhas é de cerca de 500 quilômetros quadrados e os maiores desenhos podem abranger cerca de 270 metros.


Os arqueólogos, etnólogos e antropólogos têm estudado a antiga e complexa civilização de Nazca para tentar determinar o efeito das linhas e figuras. Uma teoria é que eles criaram tais figuras para que pudessem ser vistos por seus deuses no céu. Os pesquisadores Kosok e Reiche propõem um objetivo relacionado com a astronomia e cosmologia: as linhas tinham a intenção de atuar como uma espécie de observatório, para apontar para os lugares no horizonte onde o sol e outros corpos celestes nascem ou se põem. Muitas culturas pré-históricas indígenas nas Américas e em outros lugares construíram monumentos em terra para observação astronômica combinada com a sua cosmologia religiosa.

Os adeptos de que alienígenas desceram à Terra na forma de deuses acreditam que esses desenhos foram feitos em homenagem a esses seres, uma vez que em 600 d.C. ninguém voava, a não ser supostas naves espaciais com turistas interplanetários. O caso é extremamente controverso, até porque a figura do astronauta saudando o céu (foto abaixo) causa dúvida em qualquer pesquisador. Um dado interessante, que vale como nota: é farsa dizer que os desenhos de Nazca podem ser vistos do espaço sideral; eles só se tornam visíveis quando a altura de uma aeronave comercial.


Em 1985, o arqueólogo Johan Reinhard publicou dados arqueológicos, etnográficos e históricos que demonstram que o culto às montanhas e outras fontes de água predominaram na religião e na economia de Nazca, dos mais antigos aos tempos mais recentes. Ele teorizou que as linhas e as figuras eram parte das práticas religiosas que envolvem o culto à divindades associadas com a disponibilidade de água.

Seja o que for, as linhas que recortam e desenham o deserto de Nazca, em uma área extremamente remota do Peru, ainda irão deixar o ser humano intrigado divulgando diversas teorias.