quarta-feira, 16 de maio de 2012

A lenda de Jack dos saltos de mola, o “homem com olhos de demônio”...

Surgiu no meio da noite, dando saltos enormes, o homem que manteve uma nação dominada pelo terror durante mais de 50 anos. A princípio, não passava de um boato; não despertaram grande interesse as primeiras notícias, divulgadas por pessoas que transitavam por Barnes Common, em Londres, que afirmavam ter visto um vulto aterrorizante que cruzava o seu caminho em grandes saltos. Mas os relatos persistiram, até que foram confirmados de forma pavorosa em fevereiro de 1838.

Jane Alsop era uma jovem atraente. Vivia com as duas irmãs e o pai em uma rua em um bairro pobre de Londres. Ouviu falar no Jack saltos de mola, mas acreditava ser sensata demais para acreditar em demônios rondando a terra. Uma noite, porém, bateram na sua porta e ela foi ver quem era. O homem oculto pelas sombras da noite disse: “Sou da polícia. Pelo amor de Deus, traga-me uma luz, pois apanhamos o demônio dos saltos de mola nessa rua”. A jovem ficou nervosa com a tal confirmação, e foi correndo pegar uma vela.

Porém, quando a entregou ao homem que se encontrava à porta, ele agarrou-a pelo pescoço e colocou a sua cabeça sob o braço. Depois, rasgou-lhe o vestido e arranhou o corpo. O homem continuou perseguindo enquanto ela tentava fugir: agarrou-lhe pelos cabelos, arranhou o pescoço. Toda a rua ouviu o escândalo, e quando as pessoas se aglomeraram para ajudar Jane Alsop, o homem sumiu na escuridão em grandes saltos.


Mais tarde, a jovem descreveu aos magistrados como era o homem que a atacara. Está tudo registrado no Arquivo Público de Londres: “Usava uma espécie de elmo, uma roupa branca bem justa. Cara medonha e olhos que pareciam puro fogo, garras enormes. Um bafo terrível e às vezes cuspia centelhas de fogo”. Essa mesma descrição seria repetida centenas de vezes em vários casos de pessoas agredidas pelo Jack dos saltos de mola.

Lucy Scales tinha 18 anos quando saiu, à noite, da casa do irmão e ia para a sua na companhia de um irmão menor, quando um homem alto e escondido sob as sombras a derrubou e cegou-a com um baforido de chamas azuis. Entre 1850 e 1860 esses ocorridos foram frequentes em toda Inglaterra, especialmente nos arredores de Londres.


Até pelo menos 1877 as autoridades inglesas tentaram capturá-lo de todas as maneiras com armadilhas extremamente inventivas. A saída sempre era a mesma: Jack dos saltos de mola saía rindo, saltando sobre os telhados nas noites escuras – sempre em gargalhadas. Os olhos infernais de Jack foram vistos pela última vez em 1904, perto de Liverpool.

Atualmente, ignora-se a identidade deste demônio folclórico inglês. Acredita-se que tenha sido o excêntrico marquês de Waterford. Era um individuo muito turbulento na sociedade vitoriana; acabou ganhando o maldoso apelido de “o marquês louco”. Jack virou um personagem do folclore inglês.