quarta-feira, 18 de abril de 2012

O enigma do poço do tesouro, um mistério de muitos séculos...

Por mais de 250 anos, indivíduos têm organizado expedições cientificas e exploratórias a uma pequena ilha no Atlântico Norte em busca de um tesouro fabuloso, que não se sabe se realmente existe ou está no campo dos folclores locais. O tesouro de Oak Island estaria escondido num poço cuja engenharia seria incrível para a época, fazendo com que o mar mantenha distância dos curiosos.

Esse poço consiste em um buraco profundo que se comunica com uma série engenhosa de túneis laterais, através dos quais o mar inunda a área sempre que alguém pretende escavar as suas profundidades. Homens voltavam à terra ensopados de água do mar e cada vez mais confundidos. Os únicos achados até hoje foram: três elos de corrente de bronze, dois pedaços de um pergaminho feito com pele de carneiro e uma pedra com estranhas coisas escritas.


A história teve início no final do século 18, em um dia em que Daniel McInnes remou da pequena cidade de Chester até Oak Island para caçar. Quando estava em cima de uma árvore reparou em uma clareira um buraco profundo e alguns pedaços de navio. Voltou alguns dias depois com mais dois amigos, que começaram a cavar o buraco, encontrando estacas de carvalho para sustentação das paredes. Os moradores de Chester decidiram que era necessário cessar as buscas, uma vez que havia a lenda do fantasma pirata em Oak.

A busca foi retomada em 1805 pelo explorador Simeon Lynds, que era dono de uma companhia de caça a tesouros perdidos. Ele desceu até encontrar o primeiro obstáculo: a água do mar. Depois de descerem quase 30 metros de profundidade, os exploradores se depararam com algo bem sólido no fundo, acreditando ser o baú do famoso tesouro; quando aberto, era um selante de nível: mais 15 metros de água. Durante vários dias tiraram milhares de baldes d’água e o nível não desceu.

A solução encontrada foi cavar um poço ao lado, para descer até onde o nível de água teria acabado, fazendo uma curva para o poço original. Quando cavaram a parede para fazer a ligação, a água inundou tudo. A empresa de Lynds já se encontrava praticamente na falência sem obter nenhum sucesso.



Em 1849, os netos de Daniel McInnes tentaram firmar um novo consórcio para encontrarem o tesouro, que já era uma lenda conhecida por todo Canadá e Estados Unidos. O tal consórcio fez a exploração, mas o excesso de peso fez com que parte do poço desmoronasse, o que iniciou uma série de novos boatos: no fundo haveria uma enorme caverna com tesouros incríveis!

Apesar desse boato, o novo consórcio descobriu o porquê de a água invadir o poço sempre que havia escavações em determinado nível: havia dois túneis ligados à praia, e conforme a maré subia inundava o poço para afugentar os curiosos. O segundo túnel aquático só foi descoberto em 1943, estando a 45 metros de profundidade.

Mais de 200 anos depois ainda persiste a história com várias perguntas: quem construiu o poço; com que forma de engenharia tão hábil foi feito; o que há dentro dele; haverá realmente um poço? Será essa história um fato ou uma tremenda farsa?


O historiador Rupert Furneaux tem a teoria mais plausível. Considerando o estado da corda e da madeira encontrados em 1795, o poço não deveria ter sido escavado antes de 1780, o que situa a engenharia na época da Guerra da Independência dos Estados Unidos. É muito provável que os ingleses tenham escondido moedas e armas na ilha, uma vez que eles tinham uma base em Halifax, no Canadá, muito próximo ao local. Furneaux argumenta que a engenharia usada na proteção do poço é tão grande que não parece ser uma engenharia simples de um pirata, mas sim algo extremamente trabalhoso, de um grupo grande de homens e engenheiros, o que na época só existia entre os colonizadores ingleses.

Há ainda quem faça objeção a essa teoria de Furneaux, dizendo que não há referência alguma ao exército inglês ter pedido uma quantia enorme de dinheiro e/ou armas, muito menos anotações sobre este poço e essa incrível obra de engenharia. Rupert Furneaux diz que, então, passado o perigo da guerra e com a derrota inglesa, as arcas teriam sido recuperadas e o poço misterioso de Oak Island está, na realidade, vazio!