sábado, 14 de abril de 2012

Mitos, curiosidades, fatos e farsas (3)

Ao longo da história as sociedades passaram inúmeros mitos e curiosidades que foram – e ainda são – encarados como fatos. No entanto, não passam de folclores que escondem farsas incríveis e bastante inventivas. Vamos, então, descobrir um pouco delas? Voilà!

Pão preto é mais nutritivo do que o pão comum...
Sob o ponto de vista nutritivo, não existe qualquer diferença entre o pão preto e o comum. A diferença está somente na farinha de trigo usada: uma é torrada, e a outra não. De acordo com os nutricionistas, ambos têm os mesmos nutrientes. No entanto, o pão preto melhora o funcionamento intestinal por conter, também, as fibras da casca do trigo. Nos últimos anos, em alguns países, o pão branco tornou-se mais nutritivo porque os beneficiadores do trigo passaram a adicionar vitaminas à mistura.


Comer sementes causa apendicite...
Pouquíssimos relatórios médicos apontam que havia a presença de sementes em apêndices removidos. Mas é muito comum a presença de dentes e obturações. De acordo com os cientistas, a acidez estomacal é muito forte e dissolve grande parte das sementinhas engolidas.

Comer peixe faz bem à memória e à inteligência...
Nenhum alimento em particular contribui de forma específica para o bom funcionamento do cérebro. Os nutricionistas dizem que a alimentação variada e colorida faz muito bem ao todo corpo humano em geral. A crença de que o peixe faz bem ao cérebro começou por volta de 1830. Quando soube que o cérebro continha fósforo, o físico alemão Friedrich Büchner declarou que “sem fósforo não há pensamento”; daí, o cientista francês Jean Dumas confirmou que o peixe é riquíssimo em fósforo e fez a associação de ideias. Na verdade, os nutrólogos apontam que se peixe faz bem ao cérebro seria necessário comer mais de três quilos do gênero diariamente para começar algum resultado.


É fácil distinguir cogumelos comestíveis e cogumelos venenosos...
Não existe um processo simples que faça essa distinção. É totalmente falsa, por exemplo, a ideia de que os cogumelos comestíveis são brancos ou apresentarem um anel na base do caule. A espécie Amanita virosa possui ambas características mas é bem venenoso. Tampouco o cogumelo azulado seja venenoso; a espécie Boletus edulis é azul e comestível. A cor do cogumelo mostra as propriedades do solo e do clima. O odor exalado também não mostra distinção: o Amanita phalloides tem um cheiro muito bom, mas pode matar uma criança. Também é mentira a crença de que cogumelos mortais possam ser consumidos depois de fervidos com vinagre. De acordo com especialistas, nunca cate cogumelos na floresta; compre-os já tratados no mercado. É mais seguro!


Alimentos enlatados tornam-se venenosos depois de abertos...
Qualquer que seja o tipo de recipiente que contenha os alimentos, estes podem ficar contaminados com germes e causar envenenamento se não encontrarem condições de perfeita esterilização. Mas os alimentos contidos em latas abertas não são mais suscetíveis de que os frescos ou guardados em outros potinhos. O que existe é que antigamente as latas eram feitas de ferro e oxidavam com mais rapidez (causando ferrugem), e entra na mesma história do tétano no prego de ferrugem. O mero arranhão de um metal enferrujado não pode causar tétano, pois a ferrugem não é “venenosa”, apenas ferro oxidado por causa da ação do oxigênio do ar sobre ele. Por outro lado, o arranhão causado por qualquer metal sujo por qualquer material pode ser perigoso, uma vez que as bactérias adoram ambientes com materiais orgânicos para se reproduzirem.