quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Um santo padroeiro da internet (?!)

Existe uma historinha por aí de que a Igreja Católica teria declarado um santo para ser padroeiro da internet, a exemplo do que fez em 1958, decretando Santa Clara de Assis como a protetora da televisão. Mas será que isso é verdade mesmo? Vamos descobrir!

Dizem os sites e blogs que Santo Isidoro de Sevilha é o referido santo padroeiro da internet. Ele nasceu por volta de 560, na Espanha, e morreu em 636. Foi teólogo, filósofo, matemático, bispo de Sevilha e cientista, mais tarde conclamado doutor da Igreja por ter sido um dos grandes eruditos da Idade Média.

Isidoro foi um dos responsáveis pela expansão do cristianismo na Espanha pós-romana. Sua família era poderosa, e todos os seus irmãos eram membros importantes do clero e do meio universitário ainda recém-formado na Península Ibérica.


Escreveu uma obra enciclopédica de 20 volumes com os conhecimentos da época sobre artes, biologia, anatomia, matemática, geologia, astronomia, filosofia, agricultura etc. O intento era ser um compêndio para ser ensinado nas escolas cristãs da região.

Foi canonizado em 1598, e em 1722 foi declarado doutor da Igreja por conta de suas colaborações com a produção intelectual da história da humanidade.

Agora você deve estar se perguntando: “Ok, já sei a vida do santo. Mas o que isso tem a ver com a internet e por ele ser o padroeiro dela? É fato ou farsa?”. É um fato! Santo Isidoro de Sevilha é o protetor da internet.

A primeira entrada oficial do catolicismo na rede se deu em 1996 com o site www.vatican.va, o portal oficial da Santa Sé, usado para a publicação de milhares de documentos da Igreja Católica, encíclicas e documentos papais. O site é muito bom para quem está fazendo estudos sobre a historiografia da Igreja ou a produção medieval, pois há muitas digitalizações interessantíssimas. Ah, existe a opção para visitar o site em português!

Em 2001, o Papa João Paulo II declarou Santo Isidoro de Sevilha como o padroeiro da internet por seu trabalho minucioso de compilação de dados naquela enciclopédia de 20 volumes, além de ele ter fundado mais de dez bibliotecas com seus irmãos. Isidoro também é o santo protetor dos historiadores e dos bibliotecários. No entendimento da Igreja, no próprio documento no site do Vaticano, a internet é um verdadeiro compêndio de conhecimento, uma gigantesca biblioteca.

Só um detalhe: a farsa nesta história é a tal oração da internet, que não existe!